sexta-feira, 20 de julho de 2012

MENSAGEM BÍBLICA: O GRANDE MANDAMENTO DO AMOR - PARTE 1


“Ora, o nosso mesmo Deus e Pai, e Jesus, nosso Senhor, dirijam-nos o caminho até vós, e o Senhor vos faça crescer e aumentar no amor uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco, a fim de que seja o vosso coração confirmado em santidade, isento de culpa, na presença de nosso Deus, na vida de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos” (1 Tessaloncenses 3.11-13). O amor é o principal fundamento da vida cristã.

Aqueles que querem se tornar cristãos autênticos deve buscar o caminho do amor incondicional, que não espera nada em troca. Do amor abnegado, que exige renúncia da nossa própria vontade, dos nossos próprios interesses (1 Coríntios 13.4-6).

O princípio do amor consiste em Deus ter-nos amado primeiro, revelando a grandeza desse amor através da Pessoa de Jesus Cristo.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16).

“Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados... Nós amamos porque ele nos amou primeiro” (1João 4.9,10,19)

Jesus Cristo é a exata expressão do grande amor de Deus! Com amor eterno Ele nos amou, com benignidade nos atraiu (Jeremias 31.3).

Sabemos o que é o amor ágape pelo exemplo de Jesus. É o amor que Jesus ensinou e viveu.

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele... Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos pare ele e faremos nele morada” (João 14.21,23).

Esse amor nos é transmitido através do Espírito Santo.

“E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Romanos 5.5).

“E aquele que guarda os seus mandamentos permanece em Deus, e Deus nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós, pelo Espírito que nos deu” (1 João 3.23,24).

“Nisto conhecemos que permanecemos nele e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito” (1 João 4.13).

O Espírito Santo revela-nos o amor de Deus com o intuito de amá-lO e conhecê-lO ainda mais.

Essa transmissão é feita a partir de uma transformação espiritual, a qual a Bíblia denomina de “novo nascimento”, isto é, um novo nascer com Deus, nascer do Espírito, um novo nascer espiritual (confere: João 1.1-5,10-13; 3.1-8/ Tito 3.3-7).

E esse novo nascimento só é possível a partir de uma verdadeira entrega ao Senhorio de Jesus Cristo.

“Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus” (1 João 4.15).

“Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus... Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 João 5.1,11,12).

O que Deus pede de todos quantos crêem em Cristo e que recebem a salvação é o amor devotado.

“Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força” (Deuteronômio 6.5).

Amar a Deus acima de tudo é o nosso dever e privilégio. Como fazer isso? De todo o nosso coração, alma, força e entendimento!

Este amor requer uma atitude de coração, pela qual atribuímos a Deus tanto valor e estima, que verdadeiramente ansiamos pela comunhão com Ele, esforçamo-nos para obedecer-lhE e sinceramente nos importamos com Sua Glória e vontade na terra.

A palavra coração refere-se ao homem interior, isto é, envolve espírito e alma.

Devemos amar a Deus com toda a plenitude de nosso ser, acima de tudo. Assim sendo, também amaremos o que Ele ama e Lhe pertence: Sua Palavra, Seus filhos, Sua obra, Sua igreja e as ovelhas perdidas.

O amor de Deus abrange: Um vínculo pessoal de fidelidade e lealdade a Ele; a fé como firme e inabalável liame com Aquele a quem fomos unidos pela filiação; o fiel cumprimento das nossas promessas e compromisso para com Ele; a devoção cordial, expressada em nossa dedicação aos padrões justos de Deus no meio de um mundo que O rejeita; e o anseio pela Sua presença e pela comunhão com Ele.

...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário